Páginas

sábado, 14 de junho de 2008

A crise do combustível

Com a cotação dos barris de petróleo a aumentar, juntamente o custo do combustível, está impossível depender do carro para trabalhar.
Em Portugal seguem protestos um atrás dos outros. Os pescadores já pararam seus barcos e distribuição por dias, e não só cá, como também na Espanha e na França. Greve nos transportes públicos pedindo aumentos. Até os camionistas pararam o país, dando prejuízo ao Estado por 3 ou 4 dias, e a retomada ao normal tem o prazo de 2 dias. Faltaram água, leite, combustível nos postos de abastecimento e alguns alimentos nas grandes cidades. Infelizmente houveram mortes em Portugal e Espanha.
O Governo foi intolerável durante estes dias até o acordo, e mesmo não se pronunciou no feriado de 10 de Junho, Dia de Portugal.
O combustível sempre a subir, só nos resta soluções alternativas como a bicicleta e a reutilização do óleo de cozinha. Esta reutilização feita em Ericeira, foi condenada e a Junta de Freguesia não pode seguir com o projecto adiante, tendo assim de pagar impostos... Ah os impostos! Há impostos pra tudo que se possa imaginar. E os "lobbies" são os quais e os poucos que podem neste país.
E os pobres cada vez mais pobres. E ricos? Muito mais... ricos!

3 comentários:

Geraldo Pinho disse...

Prezada Liliam, louvável a sua preocupação com o tema. Uma dica: você já ouviu falar em biocombustíveis, uma forma alternativa de energia que tem potencial para quebrar o paradigma do setor? O governo brasileiro vende a idéia ao mundo, mas interesses poderosos tentam rechaçá-la dizendo que a sua produção contribui para a escacez global de alimentos. O que não é verdade por diversos motivos.Procure pesquisar o tema.

Jeff Santos disse...

Biocombustíveis!!!!???? Talvez isso ainda seja muito avançado para a mentalidade dos Portugueses, desculpa Liliam mas bicicletas e transportes publicos... Não tem como, leva-se uma eternidade para apanhar o transporte e detalhe custa os olhos da cara, andar de bicicleta até era uma alternativa se as autarquias investissem em projetos de ciclovias e etc... Resumindo não vejo outra alternativa, o nosso futuro esta em andar a PÉ!

Liliam disse...

O biocombustível ainda tem que ser mt discutido, pois daqui a pouco estamos a destruir áreas enormes de matas para a produção de matérias-primas para tal. Esta discussão leva até para o lado econômico-social...