Páginas

segunda-feira, 9 de junho de 2008

Curta-Metragem

A oficina de produção do curta está quase no fim. Incrível, divertido, no sense, criativo, é isso mesmo, tudo ao mesmo tempo. Nunca imaginei que fosse assim, mas a liberdade que o curta-metragem oferece é incrível. A mensagem não precisa ser concluída, nem explicada, podemos solucionar para o telespectador ou não, e isso é fantástico.
Queria colocar aqui um curta que assisti recentemente do diretor Philippe Barcinski, A Escada. Gente é fantástico. O problema é que não achei disponível na internet. É um ótimo exemplo de curta.
Ah o Philippe Barcinski fez seu primeiro longa, que também é muito bom, Não por Acaso, com Rodrigo Santoro e Letícia Sabatella.
O filme conta a história de dois homens distintos que tem algo em comum, a forma como levam a vida. Ênio (Leonardo Medeiros) é um engenheiro de trânsito que precisa controlar as ruas de São Paulo. O trabalho acaba influenciando a maneira como leva a vida, de forma simples e banal. Pedro (Rodrigo Santoro) é um marceneiro que além de criar mesas de sinuca, treina para competir no jogo. A vida de Pedro e Ênio passam por transformações depois dois acidentes de transito que fazem com que eles passem a enxergar a vida de maneira diferente, e não como se pudessem controlar o rumo das coisas. Filme simples com história interessante.
Outros curtas de Barcinski merecem destaque como Janela Aberta e Palíndromo (muito loco).

Um comentário:

a que deseja disse...

Oi Érika, tudo bom?

Passei pra agradecer a sua visitinha lá no Desejos Incontidos e vi seu post sobre o Ensaio sobre a Cegueira...

Nossa, curiosidade é pouco, eu estou suuuuper ansiosa pra assistir. Adorei o livro e aposto que o filme ficou incrível!

Ah, e parabéns pelas 1000 visitas ;-)

Beijo!