Páginas

domingo, 17 de agosto de 2008

Santo Domingo

Depois de uma semana de trabalho terrorizante, fui convidada a participar de um batizado da filha de uma amiga. Aliás este convite foi feito há dias atrás, e relembrado sempre... Fiquei dias a imaginar e a perguntar às pessoas como funcionava um batizado, o quanto demorava e como deveria me vestir. Ir formal? Com uma roupa mais descontraída? E tem missa normal? Se tiver missa vou dormir e babar....
Em pleno Domingo nublado, cheia de preguiça (eis um pecado capital), corri para pintar as unhas, escolher uma roupa, tomar banho, fazer um penteado e blá-blá-blá.... e em meio disso tudo mudava da MTV e Eurosport a toda hora para acompanhar os jogos olímpicos.
Claro, acabei por me atrasar. Era para estar ao meio-dia na santa Sé de Braga. Mas a esta hora ainda escolhia o tal penteado. Para mim também era uma boa, pois a cerimônia seguia e eu chegaria a tempo de cumprimentar a galera e ir direto ao restaurante. Enrolei e enrolei. O que não é normal, pois sou fiel aos compromissos e horários. Mas há sempre o primeiro "falhanço"!
Finalmente cheguei a tempo da parte importante do batizado... a bebê doente, a família já farta daquelas pompas cerimoniais mas que fica bem perante a sociedade.
O padre não era nada simpático, e como disse meu boy, parecia uma cerimônia tipo fast food, pois este estava tão habituado, que as palavras do Senhor saíam automaticamente e sem emoção. Ah! A Igreja era macabra ao meu ver. Sendo mais clara: uma arte pesada ao qual não aprecio.
Flashs e mais flashs... e depois a comilança.
Gente, comi e bebi a tarde toda. Por 6 horas! E sem dançar pois o som do restaurante falhava e quando não, as músicas eram da Mariah Carey em diante.
Eis o meu dia de Domingo.

quinta-feira, 14 de agosto de 2008

Você sabe quem é?



Talvez ninguém acerte, mas vamos tentar.
Você tem idéia de quem seja essa mulher da foto? Dica, foi "famosa" aos 13 anos.
Eu, particulamente, achei que ela já tinha "partido para uma melhor".