Páginas

segunda-feira, 15 de junho de 2009

As voltas.

Dando voltas. Sim, ele estava dando voltas. Sem destino, sem ter o que fazer.
Até que ele encontrou, e para o primeiro casal que avistou naquela esplanada de café, para junto foi. E logo achou que aquele rosto feminino, amigável e de caracóis claros não lhe era estranho. O que nele despertou no íntimo um sentimento de conforto e de certa liberdade.
Sem intervalo, nem tempo para diálogos ou respostas negativas, ele começou:
Eu ofendo, não agrido e não perdoo.
Eu não ofendo, mas agrido e não perdoo.
Eu não ofendo, não agrido mas perdoo.
Eu ofendo, eu agrido, eu perdoo.
Eu não ofendo, eu não agrido e não perdoo.
Este mesmo, terminado de deixar a sua mensagem, e sem destino, virou-se e continuou a sua trajetória.

4 comentários:

Érika Pereira disse...

Amiga, tá tomando chá de cogumelo? Isso está numa vibe meio louca. Talvez se vc me der um pouco do que anda bebendo, eu possa dar uma opinião! rsrsrs

Liliam Silva disse...

rsrsrsrsrsrs
é um relato...
se calhar "ele" tava mesmo mau!!!!
heeheehehehe
dizem que este cara era muito bom em Filosofia...

Érika Pereira disse...

Opa! bom em Filosofia??? Quem é o gato? Me apresenta rsrsrsrsrsrs

Liliam Silva disse...

kkkkkkk o gato endoidou mesmo! por isso é um relato confuso...