Páginas

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Unidos pela escrita

O primeiro encontro foi em uma tarde de agosto. Cheguei timidamente e ainda atrasada. Sentei e olhei ao redor, queria ver cada rostinho. Saber quem eram as pessoas que viviam famintas de palavras, assim como eu.

Ansiava pela apresentação de cada um. Conhecer um pouco da trajetória, e principalmente o motivo que as levavam a procurar um laboratório de escrita. Fiquei feliz quando me vi naquelas pessoas. Era gente que não terminava uma história, que travava no meio, que tinha medo de colocar no papel... Gente que queria apenas se divertir, gente que queria fugir da realidade e mergulhar na ficção. Pronto, eu me sentia em casa.

Desde então, as tarde de sábado nunca mais foram as mesmas. Hoje, espero ansiosamente pelo encontro, pois sei que, lá, serei acolhida. Depois que a roda se forma, alguém dá o pontapé inicial. Faz a leitura de um conto, uma crônica, um pensamento... Não importa. Ali, fugimos da objetividade do lead, inventamos personagens, viajamos para um mundo qualquer. Não há corte, nem limitações, nem deadline. Ah, como é bom ser livre...

Somos guiados por uma mestra incrível, que, com uma varinha de condão, dá poderes inimagináveis para seus pupilos. Seu ensinamento? É simples: escreva sem medo, vá embora, deixe o personagem ganhar vida própria. O que é proibido? Deixar de escrever.

Olha... funciona, viu? Laboratório do Escritor

***
Lembro que sempre tive vontade de participar de grupos de literatura. Só agora consegui. A Cecilia Nery, jornalista, blogueira e colega de Jornalismo Literário, escreveu um belo texto sobre o assunto: Sobre grupos, livros e cafés

6 comentários:

malu disse...

que lindo, Érika!
Partilho seus sentimentos quanto ao nosso crupo.
Um beijo e um forte abraço literário.

Cecilia Nery disse...

Adorei o seu texto, parece que me vi junto, nesse grupo que você está frequentando, não é nem preciso dizer que fiquei interessada. Parece muito bom. E obrigada por prestigiar o meu blog e comentar o meu texto no seu post. Fiquei envaidecida. Beijos.

Mariana disse...

Eu fico tão feliz qd vejo pessoas realizando sonhos, q poucos dão importância, como a literatura.
Sucesso.
Adorei a imagem da biblioteca.
digo q eu quero ser um rato d biblioteca ,mas com o dom da leitura.

Gabriella Mancini disse...

Oi, Érika
Também sempre quis participar desses grupos, mas sempre adiei. Quem sabe com seu incentivo me animo?
Bj,
Gabi

Jeff_Santos disse...

As vezes fico a imaginar as tuas historias, felizmente ou infelizmente eu sou assim, tenho que ler um texto e entrar nele. Caso contrário não vale a pena!!!! Vejo-me em muitas coisas que escreves e vejo-te em cada linha.
Fico muito feliz por ti e pela pessoa que és!!!
E ve se para a proxima chega a horas, se eu fosse a vada com a varinha de condão, viravas uma abobora e não entravas depois da hora! Tenho dito!!!

Gabriella Mancini disse...

Oi, Érika.
Agora me convidaram a um grupo de discussão de dramaturgia, mas fico com medo de aceitar o compromisso e depois não conseguir cumpri-lo por falta de tempo. Vamos ver.
Ah, por problemas técnicos, meu blog mudou de endereço para gabi-mancini.blogspot.com (com o traço no meio). Bjs