Páginas

terça-feira, 16 de novembro de 2010

O bêbado e a operadora de caixa

O senhorzinho surge do nada na fila do supermercado, vestido com uma camisa cinza de listras brancas, cinto e calça social. Com um traje desses, seria um verdadeiro gettleman, para algumas.

Com o olhar meio vesgo, daqueles que limpam o peixe olhando para o gato, ele segura uma latinha de cerveja quente e profere em alto e bom som “Parei de beber”, enquanto o barulho da lata se encarrega de fazer o som característico: tsss

A fila, que ganhava cada vez mais componentes, devido ao horário de pico (18:40), cai na gargalhada com a cena. Já a operadora de caixa, impecável em seu uniforme branco e vermelho, bufa quando o bêbado equilibrista decide lhe fazer a corte: “Tá vendo essa mocinha ae? Acho ela linda”.

A moça olha feio por cima do par de óculos de grau, como quem diz: “Tu jura?”, e continua o trabalho. Incansável, ele não desanima e continua o falatório: “Tava louco pra tomar uma mesmo!”, se referindo à bebida.

O tempo vai passando e a fila não anda. De jeito nenhum. Parece que a operadora do caixa ficou nervosa com a cantada e perdeu toda a agilidade. Mas o senhorzinho bêbado, que “parou de beber”, está todo prosa e animado: “Tá vendo aquela mocinha ali? Vou casar com ela!”.

Todos riem, menos ela.

Mais atraso e a fila aumenta. Diante de tamanha espera, o bêbado muda o discurso: “Eita, mas que demora, heim? Desse jeito não vou casar contigo não!”.

Todos riem, menos ela.

Um comentário:

malu disse...

Vc sempre com um olhar interessante para o cotidiano...
bjs.