Páginas

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Carta anual

“Essa noite, depois de pensar longo tempo, rolando na cama, acendi o abajur do criado-mudo e escrevi num caderno, onde anotava temas para contos, em ordem de prioridade, as coisas que faria. A primeira era me casar com tia Julia e colocar a família diante de um fato legal consumado ao qual teria de se resignar, quisesse ou não”



Quando li o trecho acima no livro “Tia Julia e o escrevinhador”, de Mario Vargas Llosa, lembrei-me das cartas que faço anualmente com todas as coisas que gostaria de fazer ou conquistar durante o ano.

Esse ritual começou em 2004, durante a aula de um curso que não finalizei. A professora pediu para que todos os alunos escrevessem seus desejos em uma folha de papel que deveria ser guardada, lacrada e aberta somente no final do ano. Não fiz o curso, mas fiz a carta, e, no final daquele ano, quando a abri, vi que tinha feito muitas das coisas ali escritas. Achei divertido, principalmente porque não me lembrava de muitos pedidos. Como não custava nada, adotei o processo e o faço até hoje.

Fui procurar a carta deste ano e notei que havia sido um tanto otimista. Na verdade, devia estar com um parafuso a menos quando a escrevi, já que tinha me determinado coisas que nem um highlander seria capaz de fazer em um ano. Mas, enfim...

Sei que parece bobagem aquelas coisas de promessas para o ano novo, mas acho que escrever o que quer é bastante diferente de prometer. E o mais curioso é relembrar os pedidos e ficar feliz quando vê que conseguiu realizar alguns. Ou não.

4 comentários:

Anônimo disse...

Vou tentar fazer o mesmo, valeu a dica. Também quero ler esse livro..
bjs

Cecilia Nery disse...

É verdade. Também costumo fazer essas listinhas, não é bem uma carta e eu não a selo e só abro no final do ano. Confiro sempre pra ver o que escrevi e se estou no caminho certo. Algumas vezes dá certo, outras não. O importante é tentar e buscar ser feliz. Beijos.

Melissa disse...

Tentar sempre... nunca desistir das tentativas...

Érika Freire disse...

Melissa, você voltou!! Seja sempre bem-vinda e feliz 2011! beijos ;)