Páginas

domingo, 26 de dezembro de 2010

Título ou dinheiro no bolso?

Outro trecho do livro "Tia Julia e o escrevinhador" que grifei foi este:

“Enquanto tomávamos a cerveja, Grande Pablito, com as pausas exigidas pelos brônquios, me contou que ao chegar a televisão ao Peru, os Genaros o colocaram de porteiro, com uniforme e quepe grenás, no edifício que tinham construído na avenida Arequipa para o Canal Cinco.

- De jornalista a porteiro, parece decadência – encolheu os ombros. – E era, do ponto de vista dos títulos. Mas dá para comer título? Me aumentaram o salário e isso é o principal.”



Preciso dizer mais? Será que não deveria aprender com Grande Pablito?

5 comentários:

pseudoanônimo disse...

Huhuhaha, concordo.

malu disse...

Ahhh, ouso discordar! Não li o livro ainda (tá na pilha rsrs), então não sei o contexto, mas penso o seguinte:
Se o título é só um título, ok, não vale nada - jornalista não é mais importante que porteiro, porque nenhuma profissão é, por si, melhor que a outra - mas a remuneração não é o aspecto mais importante de um emprego! Mais vale um porteiro satisfeito do que um jornalista descontente (só pra manter as mesmas profissões).
Adoro polemizar rsrsr

Érika Freire disse...

Mas a intenção não era dizer que uma profissão é melhor do que a outra. Jamais! O que me fez pensar quando li esse trecho é que muita vezes queremos seguir uma profissão que nos agrade e acabamos esquecendo que vivemos em um sistema capitalista e que, por isso, é preciso ganhar dinheiro. Adoro ser jornalista, mas às vezes sinto falta de grana sim! Quando adio minhas viagens à Paris, quando atraso a prestação do iate ou quando aquele Christian Louboutin fica para o mês seguinte, atrasando assim a formação da minha coleção. rsrsrsrs
E concordo totalmente com você, a remuneração não é o aspecto mais importante de um emprego. Mas acredito que quando se chega a uma determinada idade, começa a pesar sim.

pseudoanônimo disse...

Eu nem refleti muito sobre o que é necessário ou mais importante. O humor me fez concordar com o texto, havendo ou não havendo razão.

Malu disse...

Ok, amigo anônimo (mas não muito), eu sou famosa aqui no trabalho por levar as piadas a sério e... estragá-las rsrsr
Érika, sei que vc valoriza todas as profissões, não tenho dúvida disso, eu criticava quem se importa apenas com o título pelo status, não por gostar do que faz (que tb sei não ser o seu caso) Negar que dinheiro é importante é bobagem, tanto quanto acreditar que ganhar dinheiro, em si, resolverá todos os problemas... Enfim, acho que concordamos.
Desejo que em 2011 consigamos fazer o que gostamos E ganhar dinheiro com isso!
beijos