Páginas

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

São Paulo - 457 anos

Esse texto é beemm velho. Fiz para uma revista há um tempo. Resolvi postar aqui devido ao aniversário de São Paulo.

***

“Alguma coisa acontece no meu coração. Que só quando cruza a Ipiranga e a avenida São João”

E os versos de Caetano estão corretos. Muitas coisas acontecem não só nos corações que cruzam São Paulo, mas em tudo ao seu redor, ao redor da maior metrópole do país. São Paulo é assim: cheia, intensa - parece que todos estão sempre com pressa, e realmente estão. Pelo menos a maior parte.

Há fumaça quase que irrespirável, mas há também o verde, o ar puro que emana do Ibirapuera. Pessoas de todos os tipos, de todos os gêneros e raças. Elas circulam pelas ruas compondo uma harmonia de cores e sons. São empresários, mestres de obras, babás, educadores e socialites que encenam a Paulicéia Desvairada.

Os metrôs? Sempre lotados com pessoas que lêem, conversam, reclamam, suspiram. O trânsito? Continua devagar, mas ninguém desiste. Todos erguem a cabeça e seguem em frente. Ame ou odeie: parece que só o amor prevalece.

Nos finais de semana as opções são diversas, parece até feira livre em dia de domingo. Bares, casas noturnas, festas, feiras, shoppings como Iguatemi, Ibirapuera, Morumbi, Paulista... Os jovens podem até brincar de uni duni tê. E é lá, na Vila Olímpia, que os baladeiros se encontram. Já os amantes da gastronomia vão para o Bixiga e se deliciam em cantinas e restaurantes.

Os roqueiros vão à Galeria do Rock. E agora, os apaixonados por futebol contam com o Museu do Futebol. Quem gosta de comprar muito e gastar pouco prefere a tradicional 25 de Março. Os elegantes e fashionistas procuram a Rua Oscar Freire, que por sinal, é considerada uma das mais luxuosas do mundo. Lá, reúnem-se grifes como Tommy Hilfiger, Diesel, La Perla, Le Lis Blanc, Osklen, Ellus Camper, H. Stern e Forum.

Bancos, grandes empresas, hotéis, hospitais e restaurantes decoram a Avenida Paulista, que além de encantar turistas é um importante pólo econômico. São Paulo é assim: é glamour, é caos, é alegria, é tristeza. E é exatamente esse leque de opções e emoções que fazem dela essa cidade tão especial. Ela é tudo isso e muito mais. Os números ilustram sua imensidão: em seus 1.530 km² de área, cerca de 19 milhões de habitantes dividem o espaço.

Dez milhões de pessoas a cada ano visitam a cidade que tem: um evento a cada 6 minutos, 500 mil empregos diretos e indiretos, uma feira de negócios a cada três dias, 410 hotéis, 280 salas de cinema, 184 casas noturnas, 75 bibliotecas, 12,5 mil restaurantes, 72 shopping centers, 54 estações de metrô, 5,2 milhões de carros, 5.500 semáforos, 500 helicópteros, 1.000 academias de ginástica, 88 museus, 120 teatros, 12 clubes de golfe, 1.500 pizzarias que vendem juntas 1 milhão de pizzas por dia. Parece muito, mas é apenas uma prévia.

É por isso que lá, tudo acontece, as oportunidades surgem. São Paulo é expressiva, é cultural, tem gostos, sabores e segredos que se perdem em tanta grandeza. Ela não tem um Cristo Redentor, mas está sempre de braços abertos para receber a todos.
“E os novos baianos passeiam na tua garoa. E novos baianos te podem curtir numa boa”.
E não só os baianos, mas todos continuarão a curtir, e sim, sempre numa boa!

2 comentários:

Cecilia Nery disse...

Bela homenagem a São Paulo. Como paulistana agradeço. Beijos

Liliam disse...

Sampa respira cultura hein... pena que dá acesso para poucos! Tudo muito caro. Mas adoroooo esse cotidiano cosmopolita, retirando o lado violento diário.