Páginas

terça-feira, 26 de abril de 2011

Maria Bonita e Josephina, perdidas em western


- Alô, e aí, Maria Bonita, qual é a boa pra esse feriadão?


- Ah, tá rolando o Itanhaém Rodeo Festival. Pega o busão na rodoviária, Josephina, e vem pra cá. Pega o das 16h30 porque a estrada vai tá osso.

- BLZ


***


Quase três horas depois.

Josephina de mau humor no busão de viagem que parece mais aquele circular azulão que cruza Santos e São Vicente. Ônibus sem ar condicionado e ela se perguntando por que caiu nessa história de ir pra rodeio em Itanhaém?

Mal desceu na província escura com cara de cidade fantasma e já pensava na hora de voltar pra casa. Lá estava Maria Bonita, esperando pela amiga.

- Nossa, onde fica sua casa? Tem que pegar trilha?, perguntou Josephina.

- Que nada, é logo ali. Mas antes vamos passar na padaria.

- Bom mesmo, porque tô com fome.

- E quando que tu não tá?


***

Depois de passar por duas borracharias, quatros bares, três matagais, uma creche, um presídio, uma vala, um nóia pedindo dinheiro e indo atrás, três cobras e um cipó, chegaram à padaria que parece mais um bar que vende pão. Duas esquinas depois, era a casa de Maria Bonita.

- Ufa! Maria, mas tu mora longe, heim? Tem certeza que veio pra cá só pra mudar de emprego? Não tá fugindo da polícia, né, mulher? Abre o jogo ae.

- Para de chateação e coloca a água no fogo

- Mas agora me fala, qual é o roteiro que tu preparou pro feriadão?

- Bom, hoje vamos no rodeio, vai ter show do Luan Santana e tudo.

- Show de quem?

- Luan Santana

- Você tá de brincadeira?

- Sério mesmo

- Mas que meteoro é esse que tu me arruma, heim?

- Vai ser legal. A festa é uma tradição na cidade.

- Não me diga que na entrada tu ganha uma latinha de Kaiser?

- Olha, quase acertou, mas é Bavaria.

- Mas que cilada!

***

Mais três horas depois e lá iam Josephina e Maria Bonita. Colocaram até camisa xadrez e bota. Só faltou a espora, mas tava valendo.

- Maria Bonita, o rodeio fica longe?

- Então, temos que atravessar o viaduto, andar umas quatro quadras e pegar um ônibus

- Meu Deus, tudo isso só pra pegar um ônibus?

- É rapidinho

- É uma odisséia, isso sim


Depois que atravessaram o viaduto, Josephina ficou assustada, tudo o que via era um breu e mato. Muito mato.

-Mas que lugar é esse, Maria Bonita? Tu tem certeza que existe vida por aqui?

-Aqui é bem movimentado em dia normal, as pessoas caminham, os carros passam...

- Mas eu só vejo mato. Logo, logo sai o Jason desse meio. Ou então sai o macaco, porque tá parecendo pegadinha do Malandro.

- Fica tranqüila, Josephina, vai dar tudo certo.

- É, to vendo que vai!


***

Quando estavam quase na metade do caminho que faltava para pegar o ônibus, surge de repente um homem segurando um lampião e montado em um burrico.

- Vocês sabem onde ficam o rodeio?

- Não sei não, moço, respondeu Maria

- Ué, pensei que ia pra lá. Por que tá carassscterizada, então?

- Hã?

- Carassscter....

Pow, Pow, Pow, Pow, Pow

Eles ouviram tiros. Vinham da rua da frente.

O moço mais do que depressa deu ré com seu burrico que naquele momento acabara de virar uma Viúva Negra, tamanha era a rapidez. Para Maria Bonita e Josephina o que restava era correr.

- Corre, Josephina, mas não esquece de rezar, gritou Maria Bonita

Mas Josephina ficou é cega e em vez de correr ao contrário dos tiros, foi ao encontro deles.

Pow, Pow, Pow, Pow, Pow

Maria Bonita correu, pegando na mão da perdida Josephina. Correram muito.

- Maria Bonita, você disse que íamos para um rodeio, não fazer um remake de “Era uma Vez no Oeste”

Cidade escura, tudo fechado, nem uma coruja na rua. Lá vinha o tal do bondinho.

- Vamos pegar o bondinho, gritou Maria Bonita

Entraram na geringonça que começou a desbravar a cidade inteira. O bondinho não chegava a lugar nenhum e Josephina começou a pensar que estava em uma emboscada. Que logo apareceriam mascarados armados, prontos para matar todo mundo.

Quase uma hora depois, Josephina e Maria Bonita desceram do bondinho e pegaram o taxicowboy, espécie de carruagem nada romântica e sem cavalos brancos, mas era o que restava pra chegar em casa com segurança.

Quase três horas depois, lá iam Maria Bonita e Josephina para dentro de casa. Maria Bonita nem tinha bebido sua Bavaria, mas não conseguia encaixar a chave na fechadura.

- Vai, Maria Bonita, Lampião já se foi faz tempo e não tá aqui pra te defender. Portanto entra logo pra não tomar outro tiro.

- Calma, Josephina, agora está seguro.

- Seguro morreu é de velho.


***

- Poxa, perdemos o show do Luan Santana, lamentou Maria Bonita

- Ainda bem, uma bomba a menos na minha cabeça. Chega de tiro por hoje, respondeu Josephina.

- Agora o que nos resta é se empanturrar de pizza e dormir, porque a carroça sai bem cedo amanhã.

4 comentários:

malu disse...

Adorei, e fiquei curiosa para saber de onde veio a inspiração - tem cara de "baseado em fatos reais" rsrsrs
beijoca

Jeff Santos disse...

É serio tenho a ligeira impressão de que conheço estas duas. Não tenho um feeling de que conheço estas senhoras. Vou publicar no meu Facebook.

Érika Freire disse...

Malu, querida, você parece conhecer mesmo meu texto, heim? rs Baseado em fatos reais, sim! rs

Jé, mas que honra ter por você por aqui! Quer entrar e tomar uma xícara de café? rs beijos, te amo pra sempre!!!

Mary disse...

Tem kra somente de baseado .......... kkkkkkkkkkkk