Páginas

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Dança contemporânea é tema de discussão e performance

A dança contemporânea é o próximo tema do UrbanARTE, evento em que artistas discutem uma linguagem (dança, música, literatura, teatro, etc) e, em seguida, apresentam uma pequena performance para fazer aparecer as criações após a exposição de seu método. O próximo encontro ocorre no dia 28 (terça-feira), às 20h, na sede do Fórum da Cidadania e Cultura de Santos (Avenida Ana Costa, 340, Campo Grande, em Santos) com a presença dos bailarinos Célia Faustino, Edvan Monteiro e Rita Nascimento e participação especial do grupo Percutindo Mundos, criado por Márcio Barreto. A entrada é gratuita.  
 
A proposta do UrbanARTE é abrir espaço para discussão da arte contemporânea, apresentando seus procedimentos, desafios e rupturas. Com isso, a iniciativa do Instituto Artefato Cultural (www.artefatocultural.com.br) em parceria com o Fórum (www.forumdacidadania.org.br) e a Revista Pausa (http://revistapausa.blogspot.com) busca atualizar na cidade as discussões sobre produção artísticas em âmbito local e global, levando em conta seus diálogos e influências, debater as tendências da arte, valorizar e difundir o trabalho de pesquisa realizado pelos artistas na Baixada Santista.

O evento tem curadoria da jornalista, produtora e pesquisadora cultural Márcia Costa, do Instituto Artefato Cultural. A mediação fica a cargo do escritor e agitador cultural Flávio Viegas Amoreira, que fará o papel de provocador frente às amplas questões que abrangem o universo artístico.

A primeira edição do UrbanARTE, em abril, contou com a presença do arquiteto e professor de História da Arte Egydio Colombo Filho e da artista plástica e professora Márcia Santtos, do Estúdio Valongo, que discutiram o tema Artes Plásticas entre um público de cerca de 40 pessoas.

Os convidados abordaram o seu trabalho e apresentaram tendências das artes plásticas na contemporaneidade.

Neste mês o público vai conhecer mais as ideias da eutonista, educadora corporal e pesquisadora em dança Célia Faustino, que integrou diversos grupos, como o Corpo Estável de Dança da Prefeitura Municipal de Santos, e desde 1994 desenvolve trabalhos solo. Atualmente é diretora do Espaço de Consciência Corporal Célia Faustino, onde são oferecidas diversas atividades, a exemplo de aulas de dança.

Edvan Monteiro, recém-chegado em Santos, veio de Fortaleza (CE), onde criou em 2001, em parceria com a bailarina Ariadne Filipe, a Cia. Etra de Dança Contemporânea. A companhia nasceu a partir  de pesquisas de movimento para a Universidade Estadual Paulista (Unesp/Araraquara), após os estudos na Escola de Dança do Instituto Dragão do Mar, e é fruto das inquietações, da busca pela diversidade, de uma proposta estética unida à ideia de pesquisar movimento do então coreógrafo Edvan Monteiro. A palavra Etra é arte escrita de trás para frente, que significa na época a ideia de construir para desconstruir. 

Célia e Edvan, junto com Márcio Barreto, integram o Núcleo de Pesquisa do Movimento – Imaginário Coletivo de Arte, que tem realizado várias apresentações, principalmente improvisos em dança em vários espaços da cidade. Os integrantes do grupo convergem da dança, eutonia, teatro, circo, música e “Le Parkour”. Estão diretamente ligados à experimentação através de núcleos de pesquisas desenvolvidos no Espaço de Consciência Corporal Célia Faustino, no grupo Percutindo Mundos, de música contemporânea caiçara, na Cia. Etra de Dança Contemporânea e no Projeto Canoa pesquisa da Cultura Caiçara.

Já a bailarina e coreógrafa Rita Nascimento, que como Célia Faustino desenvolve um dos mais importantes trabalhos de pesquisa na cidade, principalmente voltado para a linguagem da Dança-Teatro, compartilhará com o público alguns aspectos dos seus mais de 20 anos de experiência na área da dança. Tendo o comprometimento da investigação da dança contemporânea, Rita dialoga com outras expressões artísticas, fazendo sempre um processo  de reflexão e buscando a comunicação entre público e intérprete. Teve vários trabalhos selecionados para a Bienal Sesc de Dança e é uma das bailarinas da cidade com maior participação no evento. Atua na Secretaria de Educação da Prefeitura, onde integra uma equipe multidisciplinar. Já deu aulas no Sesc, em faculdades e em escolas de Prefeitura.

O bate-papo com os bailarinos será encerrado com uma improvisação de dança acompanhada pela música do Percutindo Mundos.






Nenhum comentário: