Páginas

domingo, 28 de agosto de 2011

Urbanarte discute o teatro contemporâneo



O teatro contemporâneo produzido em Santos é o tema do próximo evento do Urbanarte, que ocorre no dia 31 de agosto (quarta-feira), às 20h, na Estação da Cidadania de Santos (Avenida Ana Costa, 340) com a presença dos diretores e atores Maria Tornatore, Miriam Vieira e André Leahun. A entrada é gratuita.

O Urbanarte é um evento que reúne artistas e produtores de arte para discutirem uma linguagem (dança, música, literatura, teatro, etc) e, em seguida, apresentam uma pequena performance para fazer “aparecer” as criações após a exposição de seu método. A intenção é abrir espaço para discussão da arte contemporânea, apresentando seus procedimentos, desafios e rupturas.

A iniciativa do Instituto Artefato Cultural (www.artefatocultural.com.br) em parceria com o Fórum (www.forumdacidadania.org.br) e a Revista Pausa (http://revistapausa.blogspot.com) procura atualizar na cidade as discussões sobre produção artísticas em âmbito local e global, levando em conta seus diálogos e influências, debater as tendências da arte, valorizar e difundir o trabalho de pesquisa realizado pelos artistas na Baixada Santista.

O evento tem curadoria da jornalista, produtora e pesquisadora cultural Márcia Costa, do Instituto Artefato Cultural. A mediação fica a cargo do escritor e agitador cultural Flávio Viegas Amoreira, que fará o papel de provocador frente às amplas questões que abrangem o universo artístico.

O UrbanARTE já teve duas edições este ano: a primeira, sobre artes plásticas, e a segunda, sobre dança. Na discussão sobre o teatro contemporâneo (dia 31) o público vai conhecer mais sobre o trabalho de Maria Tornatore, que acumula ampla experiência na área artística como professora de teatro e dança, bailarina, atriz e coreógrafa, além de diretora teatral. Entre as diversas produções das quais já participou, estão a peça 
“Homens de Papel”, de Plínio Marcos; o trabalho realizado no Projeto Arte no Dique com o Grupo Bando do Dique e Grupo Taetro de Teatro para criação do espetáculo “Sem perder a ternura jamais”, de Plínio Marcos. Outra experiência marcante no currículo de Tornatore foi o espetáculo dirigido por ela em uma casa do Centro de Santos pelo Grupo Taetro de Teatro, “Nossa vida como ela é...”, do Grupo Taetro de Teatro, baseado na obra de Nelson Rodrigues.  Entre outras atividades, atualmente, atua na Secretaria de Turismo e Cultura de São Vicente na Encenação da Fundação da Vila de São Vicente.

André Leahun, premiado como ator, diretor, iluminador e cenógrafo em festivais municipais, estaduais e nacionais, é sócio-proprietário da Confraria Produções Artísticas e diretor artístico da Associação Cultural Afro-Brasileira Luz das Candeias do Litoral da Costa da Mata Atlântica. Como diretor realizou, entre diversos trabalhos, “Bailei Na Curva”, “Bodas de Sangue”, “Projeto Carne de Segunda”, e atualmente dirige os espetáculos “Dama da Noite”, texto de Caio Fernando Abreu e “O Que Terá Acontecido A Rosemary”? É o realizador pelo décimo ano consecutivo da pesquisa, elaboração e concepção artística do Evento Carnabonde, da Secretaria Municipal de Cultura de Santos.

Miriam Vieira, atriz, diretora e produtora cultural, foi secretária da Confederação de Teatro Amador do Estado de São Paulo, presidente da Confederação Nacional de Teatro Amador e da Federação Santista de Teatro Amador, entre os diversos cargos em que atuou. Dirigiu muitos trabalhos, a exemplo de "Amor Por Anexins", com o Grupo de Teatro Temetal, e o espetáculo “Mac&Beth”, produzido pala Cia Trilha de Teatro, o espetáculo “Minha Nossa” com a Cia Cenicomania e “Quando os Olhos se Fecham”, com a Cia Confrarial Teatral. É produtora do espetáculo “De Onde Vem o Verão”, de Carlos Alberto Soffredini, com direção de Neyde Veneziano. Trabalha para At Comunicação, em eventos, propaganda, encenações e projetos culturais, artísticos e empresariais.