Páginas

terça-feira, 6 de setembro de 2011

Novo mundo


Cansei de aguardar a inspiração chegar e decidi atirar indecisões pela janela. Logo, um tornado de soluções apareceu me fazendo companhia naquela noite acinzentada.


Já não compartilhava mais minhas dores e me sentia responsável pela primeira vez, sem medo de ser acometida por ilusões. Quando uma dor se esvai, vem a calmaria de um coração vazio e logo uma sensação de morbidez. Parece que se está morto. Mas para se entrar em um novo planeta, é preciso morrer aqui. A gente se despe das inquietudes e se lança como se fosse um outro alguém. A certeza de que não vai errar é nula, mas se erra de outro jeito.

Deixar as tolices de lado é impossível, mas viver com as próprias tolices é melhor. Porque se nota que o tempo perdido foi com as bobagens do outro.

Pega sua cara de volta, seu cheiro, sua preferência e faz uma mala bem grande. Nada pode faltar no novo mundo.

8 comentários:

Lufe disse...

Oi Erika,

Para que a dor se esvaia é necessário muito carpir.
Depois das exéquias, postas a sete palmos, nos sentimos livres para novo caminhar.
Nunca sem erros, pois trilharemos novos caminhos, muitas vezes desconhecidos, mas com certeza, certos de que faremos novas tolices. Das nossas damos conta.
Buscamos toda a bagagem no fundo do baú e com ela arrumamos as malas para seguirmos sempre em frente.

bjos

Malu disse...

Belo texto, Érika. Dá pra desenvolver bastante, se vc quiser... fica a dica.
beijoca.

Érika Freire disse...

Até no comentário o Lufe faz poesia! Dorei, dorei. bj ;)

Gabriella Mancini disse...

Que lindo, Érika. É um novo jeito seu de escrever, gostei.

Érika Freire disse...

Ebaaa!! Obrigada, Gabi. Quem sabe pode ser um caminho, né? Bjkss ;)

Macá disse...

Olá Érika
Gostei dessa coisa de atirar indecisões pela janela, porque a partir dessa decisão, as coisas se resolvem.
Vou vir sempre aqui pra ler um pouquinho tá?
beijos

Fora de Sintaxe disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fernando disse...

Toda vez que leio "novo mundo" nalgum lugar lembro da música New World, da Bjork, do filme Dançando no Escuro. Sobre a inspiração, acho q é preciso uma certa disciplina pra deixar ela fluir, coisa o estresse impede a gente de conseguir.