Páginas

sexta-feira, 15 de junho de 2012

Minha experiência com o CouchSurfing



Não sou do tipo mochileira e nem das melhores adeptas a aventuras tresloucadas. Por isso, quando o João me falou do CouchSurfing, torci o nariz. Achei a idéia meio estranha e fiquei pensando que motivo alguém teria para me receber em sua casa sem ganhar nada em troca? É claro que hospedar um gringo, por exemplo, pode ter lá suas vantagens, como treinar o idioma, só para citar uma.

Vou tentar resumir o que é o CouchSurfing: é uma maneira diferente de viajar e fazer amigos. Você se cadastra no site, que atualmente tem mais de 3 milhões de usuários do mundo todo, e começa a trocar informações. “É uma espécie de intercâmbio entre viajantes”, como definiu bem uma jornalista.

Então, você pode receber alguém em sua casa para passar alguns dias, ou ser recebido também. Como podemos notar, o conceito do CouchSurfing é uma espécie de “sociedade alternativa” onde se acredita que devemos resgatar valores um tanto perdidos nesse mundo pós-moderno.

Voltando: havíamos planejado visitar Curitiba neste último feriado (Corpus Christi). O João passou a usar o CouchSurfing desenfreadamente pedindo hospedagem através do site. Não demorou e minhas dúvidas iniciais sobre a comunidade começaram a apresentar os primeiros sintomas.

“Não sei se vou estar aqui no feriado”, “Não posso hospedar, mas vou ver com um amigo”, “Ainda não sei. Quando tiver mais perto, manda outro pedido”.

Logo, concluí que a maior parte deveria estar ali em busca de “ser hospedado” e “nunca hospedar”. O melhor foi garantir um hotel para não dormirmos na rua. E foi o que fizemos. E ele continuou tentando e eu boicotando e deixando-o meio P.

Até que nos 45 do segundo tempo, um usuário do CS respondeu positivamente, dizendo que estaria disponível no feriado e que poderia nos hospedar. Fiquei tão insegura que quase cancelei tudo. Já estava tranqüila por pensar que ficaria em hotel e de repente me vejo dentro do CS.

O fato é que quem quer buscar novas experiências, tem que se arriscar um tantinho, não é mesmo? E confiar no outro é algo tão belo e profundo, por que não fazer de vez em quando? Foi o que fizemos. Combinamos com nosso host de nos encontramos em um shopping de Curitiba e, gente, agora posso dizer que é inevitável os diversos pensamentos que surgem em nossas cabeças, tanto na do “host”, como na de quem será o “guest”: “E se for um mala?”, E se for um psicopata?”, “Será que vou conseguir dormir de verdade...?”.

No horário combinado, conhecemos o Rafhael, nosso host, e a empatia foi imediata. Cada um contou um pouquinho sobre o que fazia da vida e logo estávamos dando risadas juntos e planejando os lugares que iríamos nos próximos dias.

Depois do almoço fomos passear no centro histórico da cidade e encontramos mais uma amiga, a Daiana. E logo todos estavam no bar bebendo cerveja. Sempre digo que sentar com alguém para beber cerveja em um bar é algo muito íntimo e isso mostra o quanto estávamos à vontade um com o outro.

Daí em diante eu posso dizer que tudo foi incrível e muito natural. Já disse ao Rafhael que essa foi minha primeira experiência com o CS e que duvido que eu tenha uma melhor. Isso porque ele nos acolheu tão bem e foi muito, mas muito solícito mesmo. Nos acompanhou em tudo e é daquele tipo de amigo que está sempre disposto e com vontade de fazer algo de bacana. Não é o máximo gente assim?

Gostei muito da cidade, mas juro que o que mais gostei foram as pessoas que conheci. Isso certamente ficará pra sempre registrado aqui dentro.

Não sei se voltarei a usar o CS, talvez sim. Mas essa primeira experiência eu precisava registrar aqui.

Algumas fotos do passeio:


Museu Oscar Niemeyer

Universidade do Paraná

Olho - MON

MON

FireFox Bar, porque cerveja é vida!

Jardim Botânico

Esses guris são muito firmê!

E, claro, tem que ter a foto clichê. Bar do Alemão.



6 comentários:

Fernando disse...

A experiência foi bem legal. CS é um outro mundo

Palavras Vagabundas disse...

Érika,
vim parabenizá-la por mais uma vez ter sido selecionada no Concurso de Contos.
bjs
Jussara

Turquezza disse...

Erika parabéns por ser uma das 25 escolhidas do Livro Um pouco de nós.
Beijos.
Turquezza

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

mto legal esse tipo de proposta, além do aprendizado deve ter sido mto divertido.

e parabéns por ter sua história como um das escolhidas do novo livro da Digitexto.

bom domingo

regina disse...

<Oi Erika, eu já conhecia, e acho que realmente funciona, pois quem se propõe a receber e ser recebido, tem uma mente aberta para novas amizades.Outro dia o Gabriel me disse que um amigo dele (que participa) estava recebendo um alemão por quatro dias em sua casa em Santos. Uma pessoa incrível, com uma maravilhosa bagagem cultural por suas viagens...Achei super interessante. Brasileiros são mais resistentes, mas vale a pena arriscar, pois você pode perder uma grande chance de fazer boas amizades e excelentes trocas. Bjus

Angelo Miranda disse...

Oi Erika! Também fui um dos selecionados para a antologia "Um pouco de nós" e já encontro-me ansioso para vê-la em minhas mãos. Parabéns pela conquista e espero poder conhecê-la pessoalmente no dia do lançamento. Um abraço e muito sucesso para você!