Páginas

domingo, 29 de julho de 2012

Ele todo entediado em mim


Mora aqui dentro desde aquela noite de lua sorridente enquanto os carros emudeceram assim que bati os olhos em suas mãos. Tudo assim mesmo rápido e sem vírgulas porque a vida corre desmedida. É só virar os olhos e as cenas não nos pertencem mais. Virou na rua escura em passos lentos como se não tivesse pressa. Enquanto eu corria dentro da minha cabeça. Antecipava uns futuros com pouca grana, mas com muitos copos e brindes. E tinha a sensação de que ele queria viver da mesma forma. Devagar e sem planos ousados porque só o agora é real.

2 comentários:

Palavras disse...

Oi Érica,

adorei o seu blog e os seus textos. Você escreve com muita naturalidade. Muito legal!

Deixo aqui o convite para você conhecer o Palavras, meu blog, onde acabei de postar um texto com uma foto daqui do seu blog (com os devidos créditos, claro).

beijos

Leila

Anônimo disse...

Palavras sábias!