Páginas

sábado, 21 de dezembro de 2013

Noite fantasia


Foi quando ela se descobriu. Nua dançando na chuva, na rua quase deserta com demônios escondidos atrás de árvores. Ela sabia que havia enganos, gente disfarçada de coração gigante. Pulando corda como quem brinca no parque, se fazendo notar. Ela, toda soberana, se derreteu. Saiu colhendo seus pedaços enquanto lágrimas escorriam. Ela corria enquanto o vento noroeste soprava forte. Os carros buzinavam. Ela nem notou, mas já era dia, logo também já era noite. Ainda bem, ela pensou, era um sonho, aquilo de dançar sem roupa. Que pena... ainda não havia enlouquecido.

Nenhum comentário: