Páginas

quinta-feira, 6 de março de 2014

O que fica desse não-amor?



E tento não repetir
Palavras
Conversas
Caminhos
Perguntas
Só que ontem à noite um sonho me disse
Seja leve
E parei no impossível
Quem sabe se eu não vivesse
Se não fosse de verdade
Talvez não me repetisse tanto
Como não tem jeito
É sem notar que retrocedo no pensamento
Foram tantas as vezes que disse
Sinto saudade
Quero te ver
Fiz cara de triste
Acordei nublada e corri para uma igreja
Fechava os olhos
Abria o peito
Apertava as mãos
Não sei se foi aviso dos céus
Você vem e diz
Não espere por mim
Vou ficar por aqui, talvez pra sempre
E agora, que tenho que ir
Ainda não sei qual é o eixo
Nem o trecho
Farei como Manuel
Vou pra Pasárgada
Lá não terá você
Porque sou real
E estou farta dos amores comedidos

Nenhum comentário: