Páginas

sábado, 17 de outubro de 2015


Todo mundo que passa por nós, deixa um pouco de vida. Pode ser uma história pela metade.
Uma noite escondida pelas folhas de bananeiras. Era arrepio, era excitante. Quando pessoas se vão, fica uma música, qualquer coisa assim que vai completando a vida.
Tem gente que vem pra bagunçar tudo. Tem gente que chega e a gente nem entende o porquê.
Tem aquelas que só esbarram, causando uma raiva passageira.
Ainda é complicado conviver com quem foi embora, mas permanece. Vive meu dia junto comigo, deita na cama gelada. Saboreia a ceia de Natal enquanto dou um gole no vinho. Tem dias de escuridão, nem a Cat salva.

Mesmo sem compreender tantas lacunas, agradeço cada registro. Eu não teria descoberto aquela cantora de voz forte. Não teria me deparado com Warpaint enquanto escrevia de madrugada. Não teria encontrado tantas verdades.    

Nenhum comentário: